1 de fev de 2011

untitled - parte 2

Acordei no chão do banheiro, 4 horas da manhã, cochilei ali mesmo, após horas de choro. Se antes eu havia chorado, essa madrugada eu chorei mais, mais do que pensei ser capaz... Só que, dessa vez o erro foi meu, assumo! 
Ela sempre esteve lá e o pior?! Eu sempre soube, sempre. Entrei nessa história, na nossa história, sem ser convidada, eu era só a reserva e só percebi agora que se as coisas não dessem certo com ela, talvez eu pudesse lhe servir. E então? Tenho mesmo servido?
Ah! Não adianta ficar aí se gabando por eu ter passado a noite em claro por você, não foi por você, foi por mim! 
Esse vazio em mim fui eu que causei, essa dor é consequência dos meus próprios atos e mais uma vez: o erro foi meu! Ocupei meu tempo querendo te agradar, viajei só pra te ver, sim, os outros motivos eram apenas desculpa, eu só queria ver você, ou pelo menos estar mais próxima. Eu fiz mais que pude e agora estou aqui, sem você e sem minha dignidade. 
Agora, depois da agonia e do desabafo, eu penso que talvez tenha me precipitado, mas na hora, naquele instante suas palavras me machucaram mais do que deveriam ter machucado, talvez essa minha atitude desesperada tenha provido do medo e da insegurança de simplesmente perder você, mas se isso for necessário, você pode ir, a porta está aberta e eu sei que ela vai estar lá, como eu estaria.

Um comentário:

Deixe aqui a sua poesia,ma sua crítica, parte de você: