5 de jul de 2011

Biblioteca

Me vi parada no meio da biblioteca, senti falta do seu abraço como naquele dia que você se sacrificou pra passar mais tempo junto a mim. Senti falta de você ali para falarmos dos outros e brigarmos por qualquer motivo aleatório. Comecei a chorar. Quando eu menos esperava eu estava procurando por uma folha em branco para traçar (ou pelo menos tentar traçar) a personalidade de qualquer um que estivesse por perto, exatamente como você sempre faz. Mas ao invés disso, quando percebi que sou péssima nisso, usei o mesmo lápis e papel para tentar escrever algo pra você. Não que eu seja boa nisso também, mas é que o coração bate apertado e os olhos se esforçam para impedir que as lágrimas jorrem, enquanto a mão incessantemente traça alguns rabiscos tentando traduzir o que diz o coração.
Tentando estudar eu grifava todos os parágrafos e me lembrava outra vez de você e sem ao menos perceber, já tinha rabiscado um "Eu quero ir embora" no canto da página.
Dois dias se passaram e eu não queria que hoje fosse o terceiro, me parecem dois anos e uma ferida profunda na minha vida, a qual não cicatrizará tão cedo e sei que ela dói para que eu não me esqueça da perda.
Eu já havia exeperimentado o gosto da saudade antes, mas ele me pareceu muito mais amargo agora e eu sinto dizer que não sei até quando vou suportar.

08:30 A.M
Uberaba
Para: Vinicius Babilônia Branquinho
_________________________________________

Obs.: Só irão entender aqueles que sabem o que é um amigo de verdade.