7 de jan de 2013

Viver é uma arte. Ler, faz parte.

Feliz aquele que se aventura a ler as inúmeras estórias e causos que muitos outros se arriscam a escrever. Reconheço-me dentro dos dois grupos: dos que narram e daqueles que interpretam e me sinto honrada ao findar um texto pois, por mais que eu não goste dele, desejo profundamente que alguém o aprecie, e mais que isso: se identifique com pelo menos parte das coisas que ali escrevi.
Quando eu jogo as palavras no papel espero que elas o tornem mais belo, mas não pra mim, pra quem irá ler. Quando escrevo, estou me transcrevendo pra uma parte do papel, por isso não me preocupo em me agradar, mas quero sempre agradar alguém. 
Escrever se assimila ao viver. Não vivo para mim apenas, deixo-me ser como sou e espero que aqueles que comigo estão me entendam e gostem de mim pela minha essência, assim como quando escrevo. 
Hoje é dia do leitor. Sim, é o meu dia e é o seu dia também! Dia em que nós podemos comemorar a graça de sermos conquistados por tantos escritores, que se preocupam em enfeitar nossas vidas com palavras que são mais que ditas: são eternizadas em uma folha de papel, em uma página de um blog, em uma nota de rodapé, em um bilhete pregado na geladeira ou em um cartão de felicitações. Feliz dia do leitor, que eu possa, como escritora, continuar enfeitando a vida daqueles que aqui me visitam, e ainda, como leitora, continuar me apaixonando pelo encanto de tudo o que leio.

Um comentário:

  1. Puxou quem na arte da escrita? A titia ou o vovô que escrevia suas lindas crônicas como ninguém?!

    ResponderExcluir

Deixe aqui a sua poesia,ma sua crítica, parte de você: