15 de abr de 2013

Vem pro meu mundo

Como se o ato de fechar os olhos alterasse de fato a realidade, criei esse hábito. Sempre que tenho medo, que fico triste ou que estou em situação de risco iminente, fecho os olhos. Isso na verdade me atrapalha um bocado, me impede de agir contra aquilo que me afeta, mas por outro lado me abre portas e janelas e o que a princípio se resume à escuridão, transforma-se em um universo mais iluminado e colorido.
Não, não é loucura, é só abrir a mente ao fechar os olhos. É como sonhar, só que acordado. Também se assemelha ao ato de desenhar, mas os desenhos ficam impressos apenas na memória. É como relembrar os momentos bons que nunca aconteceram ou imaginar as cenas de um livro. 

Fechar os olhos disfarça, alivia e quase cura. É uma terapia, é exercício de paciência, de criatividade e de imaginação. Sonhar não nos custa nada, no máximo uma decepção, mas não há decepção que não possa ser recoberta por outra nova. Ser mais paciente é saudável, ser criativo também. Por que não fechar os olhos? Alguns sugerem que isso incita o medo, teste você mesmo. É incrível como o mundo aí fora pode ser muito melhor quando confundido com o daqui de dentro. 

5 de abr de 2013

Muito mais e um pouco menos


Por uma vida com mais sorrisos
Mais escada
Menos elevador
Mais dinheiro
Mais tempo
Mais amor
Mais frio
Mais café
Mais cobertor
Mais viagens
Mais loucura
Mais companhia
Mais livro
Mais filme
Mais poesia
Mais sorvete
Mais chocolate 
E menos calorias.