20 de dez de 2013

Em Cartaz

Foi você quem pediu pra que eu arrancasse uma parte de mim. Você sacrificou parte do meu corpo, da minha alma e da minha vida. Você disse que tinha outra pessoa, disse que queria viver com alguém que pudesse estar, de fato, ao seu lado. Você me disse tantas coisas que escolhi apenas algumas pra recordar, mas nenhuma delas me traz um sentimento bom. 
Foi você quem saiu e fez questão de fechar a porta. Foi você quem abandonou o navio. Foi você quem quis sair de cena. 
Você deixou de existir no meu roteiro, seu nome não constava mais no elenco, o máximo que soubrou foi seu figurino e a música tema. 
E agora você se acha no direito de voltar, nem sequer esperou o intervalo ou a troca de cena. Voltou como se outra pessoa não estivesse atuando em seu lugar, como se fosse insubstituível... Eu pensava que na minha peça todos os personagens fossem coringa, mas você mostrou que não. Apesar disso, não posso mais alterar o elenco por um capricho seu, já passamos por isso outras vezes, mas agora preciso fazer diferente, preciso descobrir o que há além do cenário que eu e você criamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui a sua poesia,ma sua crítica, parte de você: