6 de mar de 2014

Sobre o querer

Sempre quero escrever de madrugada, mas de madrugada sempre tenho sono. A teimosia me é suficiente pra escrever não mais que, sei lá, umas quinze linhas. 
Sonho mesmo é em poder escrever enquanto sonho, escrever o que eu sonho. Se sonho dormindo ou se sonho acordada pouco importa, quero relaxar o corpo e transformar ação em texto, em prosa e em poesia. É sempre o contrário, já cansei dessa mesmice de ver livro virar filme, quero ver os filmes que correm na minha cabeça virando livros. 
Quero dormir pra sonhar mais e quero permanecer acordada pra escrever mais. Quero sonhar enquanto escrevo e escrever enquanto eu sonho. 
Quero viver de escrever, escrever pra viver, quero escrever enquanto como e sobre o que as coisas eu como, sobre o que vejo e como as vejo, sobre quem sou e quando sou, mesmo quando quero ser alguém que só sou por querer. Fantasia.
Até ontem não sabia o que queria, mas aí quis saber e resolvi querer o sempre quis: escrever.

Um comentário:

Deixe aqui a sua poesia,ma sua crítica, parte de você: